Sinto meu coração bater como se dissesse: realize seus desejos.

O Diário de Anne Frank.  (via reverenciador)

Se você está pensando que eu estou me importando, claro que eu estou. Eu não sou feito essa gente que ama e de repente tchau, e se acabou.

Vinícius de Moraes    (via acertarei)

Sexo verbal não faz meu estilo ,palavras são erros, e os erros são seus.

Legião Urbana.  (via carencias)

Pegue na minha mão e confie em mim, quero te levar para conhecer a felicidade através de um caminho trilhado pelo amor, até um lugar onde só exista eu e você.

aventurador.    (via o-bipolarr)

'E pela primeira vez. eu desejei de todo coração te esquecer.

Thaís Ziberman. (via thiagopolycarpo)

Vê se aprende menina, se rema pra frente, não pra trás.

Thaís Ziberman. (via thiagopolycarpo)

Não mudei de número, de endereço, de lugar, de e-mail, eu continuo aqui, esperando um sinal que mostre se ainda se importa.

Thaís Ziberman. (via thiagopolycarpo)

E qual é a minha definição de amor? Tenho o nome de uma música do Chico Buarque, bem antiguinha, a que meu pai cantava no karaokê do bar próximo à sua casa. Depois que eu nasci, ele passou a me levar junto e no final da música fazia questão de dedicá-la pra mim. E eu ficava na mesa, morrendo de vergonha e pedindo que ele parasse com aquilo. Mas ele sempre fazia novamente. Ele sempre cantava a música do meu nome e dedicava pra mim. Por anos. E nunca sequer ficou com raiva ou magoado por eu sentir vergonha dele por isso. Isso é amor. Quando eu era pequena, sempre que minha mãe chegava do trabalho, eu perguntava se ela tinha trazido presente. E ela, todo santo dia, antes de ir pra casa, passava no supermercado e comprava alguma coisa, mesmo que fosse apenas um bombom. Ela nunca voltava pra casa de mãos vazias. Nunca quis me decepcionar. Isso é amor. Aos oito, vi uma gelatina no chão perto do caixa do supermercado e a peguei. Ao atravessar a rua, mostrei pra minha tia. Que me fez voltar, devolver e me desculpar pelo roubo. Ela sempre me fez ser e querer ser uma pessoa melhor. Isso também é amor. Um dia falei pro meu namorado que não gostava de flores, porque eram apenas um presente fútil que se dá quando não se quer ter esforço pra agradar uma mulher. Mais uma grande tirada do capitalismo. Ri e completei que só iria gostar se ele mesmo fizesse a flor. Então ele passou o dia inteiro tentando fazer uma flor de origami por vídeos da internet, pra me dar. E foi o melhor presente que eu já recebi. É isso. O amor é isso. É a música do karaokê, o bombom do supermercado, a lição sobre a gelatina, a flor de origami. O amor é o detalhe.

Iolanda Valentim.     (via alentador)

Claro que eu adoro minha casa, meu cachorro, meus amigos, meus livros, músicas. Tenho uma vida ótima. Mas nenhuma dessas coisas se comparava ao prazer que eu tinha ao ouvir o barulhinho de uma mensagem chegando. Ou de quando o telefone tocava e eu sabia que era ele e o meu coração disparava tanto que eu tinha medo de morrer antes de falar “alô”.

Tati Bernardi.  (via velejo)


@ acumulou